22 MAI 2017

ENCONTRO DE CASAIS DE UMA NOVA UNIÃO

2º Retiro Bom Pastor

UMA EQUIPE DE CASAIS, DE SEGUNDA UNIÃO, DA CIDADE DE TELÊMACO BORBA- PR ASSESSOROU O ENCONTRO QUE REUNIU

APROXIMADAMENTE 150 PESSOAS NO ÚLTIMO DIA 25 DE MARÇO EM TERRA RICA. PADRE MARCELO APARECIDO SANTIAGO FOI

O RESPONSÁVEL PELO EVENTO QUE CONTOU COM A PARTICIPAÇÃO DO BISPO DIOCESANO DOM GEREMIAS STEINMETZ. 

Image title


O Bom Pastor vem
para curar as feridas e
existem tantos casais
com feridas abertas
de relacionamentos
anteriores, do primeiro
casamento que não deu
certo... A “Igreja está
aqui como mãe e quer
que todos caminhem
com ela, que se sintam
amados por Cristo e
pela Igreja”.
Pe. Marcelo Santiago




Qual o objetivo do Retiro Bom Pastor?

O objetivo desse retiro é ir ao encontro dos casais de segunda união que estão afastados da Igreja e resgatá-los, como o bom pastor que dá a vida por suas ovelhas.

“Eu sou o bom pastor. Conheço as minhas ovelhas e elas me conhecem, assim como o Pai me conhece e eu conheço o Pai. Eu dou minha vida pelas ovelhas.” (Jo 10,14-15)

Existe uma nova visão em relação aos casais de segunda união?

No pontifi cado do Papa Francisco, há um novo olhar para os casais de 2º união e a Igreja sente a necessidade

de acolhê-los, uma vez que os próprios casais se ausentam por não poderem comungar ou até mesmo confessar. Por esse motivo, o Papa Francisco têm incentivado muito os bispos e os padres a se aproximarem desses casais e trazê-los de volta à Igreja.

O que se trabalhou nesse retiro?

Nesse retiro, trabalhamos o acolhimento, o amor... São momentos importantes onde os casais são instruídos

de como participar e ter uma vida ativa dentro da Igreja que está aberta para acolhê-los. Nós temos os grupos e as pastorais onde os casais de segunda união também podem se inserir.

E o que acontece após o encontro?

Após o encontro, os casais são divididos em círculos onde cada círculo tem o acompanhamento de um casal que participa do ECC ou do MFC e, dessa maneira, se reúnem uma vez por mês para estudar, refletir, conversar, rezar, partilhar a vida e dar continuidade aos encontros e à participação ativa na Igreja.

Nós, padres, amamos todos os casais, a Igreja os ama e está de braços abertos como aquele pai da parábola do filho pródigo.

“Filho, tu estás sempre comigo, e tudo o que é meu é teu. Mas era preciso festejar e alegrar-nos, porque este teu irmão estava morto e tornou a viver, estava perdido e foi encontrado.” (Lc 15, 31-32)

Que esse retiro possa de fato fazer a diferença na vida desses casais. Que eles possam ter o encontro com o bom pastor, sejam acolhidos por ele. O bom pastor vem para curar as feridas e existem tantos casais com feridas abertas de relacionamentos anteriores, do primeiro casamento que não deu certo... A Igreja está aqui como mãe e quer que todos caminhem com ela, que se sintam amados por Cristo e pela Igreja.


Compartilhe esta publicação