22 MAI 2017

55ª Assembleia da CNBB

Assuntos de extrema relevância para o país

DOM GEREMIAS STEINMETZ, BISPO DE PARANAVAÍ E VICE PRESIDENTE DO REGIONAL SUL 2 DA CNBB ESTEVE PRESENTE NO
ENCONTRO QUE SE REALIZA ANUALMENTE ENTRE O EPISCOPADO DE TODO O BRASIL E, NESTE ANO, OCORREU EM APARECIDA
(SP), ENTRE OS DIAS 26 DE ABRIL A 5 DE MAIO, NO CENTRO DE EVENTOS PADRE VÍTOR COELHO DE ALMEIDA.


CONFIRA OS COMENTÁRIOS DE
ALGUNS BISPOS PARTICIPANTES:

“Assuntos tratados na Assembleia vão ao encontro das necessidades da nossa igreja.Image title

A CNBB é uma das instituições mais procuradas em Brasília

para saber quais rumos que a Igreja e o Brasil irão tomar nos próximos

anos, tendo em vista a crise moral que se abate sobre o nosso país”.

DOM GEREMIAS STEINMETZ

Bispo de Paranavaí e Vice Presidente do Regional Sul 2 da CNBB





“O povo tem direito de se manifestar, de pedir esclarecimentos
a respeito de questões como da Previdência Social e a Reforma Trabalhista.
Essas manifestações visam que se chegue ao melhor. Que
a Reforma da Previdência seja a melhor possível e que não venha
prejudicar os mais pobres e privilegiar outros que podem naturalmente
contribuir mais”.
CARDEAL ODILO PEDRO SCHERER

Arcebispo de São Paulo (SP)



“Mesmo com a violência,
apesar de ser assustadora,
nós devemos ser
pessoas de esperança. Deus
não nos colocou no mundo
para viver em choque, em
confl ito, mas para superar
os confl itos. Através de projetos
e planos conseguimos
distanciar aquilo que é violência
ou aquilo que destitui
a pessoa da sua dignidade”.
DOM MÁRIO ANTÔNIO
DA SILVA – Bispo de Roraima,
sobre Violência, segurança
pública e questões urbanas.


Image title

“Há um processo de
desvalorização histórico da
figura do professor e isso refl
ete, por exemplo, na vocação
de futuros professores.
As licenciaturas e os cursos
de pedagogia ainda têm um
número expressivo, mas não
atendem mais a nossa necessidade.
A formação do professor,
a necessária formação
constante desse profi ssional
deve ser uma política de estado.
O projeto de educação
do nosso país deve incluir
essa formação permanente.
Às políticas públicas devem
ser estáveis e continuadas.
Quem vai educar às futuras
gerações se não valorizarmos
esse profi ssional?”.
DOM JOÃO JUSTINO
DE MEDEIROS - Arcebispo
coadjutor de Montes Claros
(MG) sobre educação.



Compartilhe esta publicação