01 SET 2019

A PALAVRA DE DEUS TRANSFORMA A NOSSA VIDA

Setembro é tradicionalmente o mês da Bíblia na Igreja Católica. Desde abril deste ano

tenho publicado um comentário à Palavra de Deus que a Igreja nos propõe diariamente

de uma forma breve, em apenas um minuto, respondendo à seguinte pergunta: como

viver esse Evangelho no dia de hoje? A proposta é viver a Palavra de Deus, colocando-a

em prática ao longo do dia nas diversas circunstâncias, pois não basta conhecê-la, amá-

la, meditá-la, rezá-la. O próprio Evangelho diz: “Quem ouve estas minhas palavras e as

põe em prática é como um homem sensato que construiu sua casa sobre a rocha” (Mt

7,24-27).

Uma casa sobre a rocha resiste às intempéries. Ao contrário, quem conhece a Palavra de

Deus, estuda e apenas a medita, mas não a coloca em prática é como um homem que

construiu sua casa sobre a areia e está sujeito até mesmo a cair. Pois bem, todos

queremos edificar a nossa vida e a nossa família sobre algo sólido, que não se desmonte

nas tempestades, cada vez mais recorrentes hodiernamente! Eis então, a necessidade de

viver a Palavra com seriedade.

Quando pegamos uma Bíblia temos contido ali o sonho de Deus para a humanidade.

Mas como são muitas as páginas, às vezes, não temos coragem nem mesmo de ler e

muito menos de colocar em prática aquela única palavra de salvação, explicada

humanamente em milhões de palavras. Bastaria termos consciência de uma coisa: assim

como basta um pedacinho de hóstia consagrada para nos colocar em comunhão com

Jesus inteiro na Eucaristia, do mesmo modo, uma única frase do Evangelho nos coloca

em comunhão com toda a Palavra de Deus, com a Palavra de Salvação, ‘a carta de amor

que Deus escreveu para toda a humanidade’.

Para minha surpresa, por onde tenho ido, dentro da Diocese de Paranavaí ou mesmo

fora, as pessoas vêm me contar que assistem com alegria ao comentário diário do

Evangelho. E isso tem gerado alegria em mim. Permanece, no entanto, o desafio de

além de ler, ouvir, meditar a Palavra: é preciso colocarmos em prática!

E depois de colocar em prática há ainda algo mais: o Evangelho descreve na parábola

do semeador que a semente da Palavra cai no terreno bom e produz 30, 60, 90 por um

(Mt 13,8). A palavra produz frutos! E os frutos não podem ficar guardados cada um

para si mesmo, mas precisam ser partilhados. De fato, nunca vi na natureza alguma

árvore comer dos seus próprios frutos: ela sempre produz e, por assim dizer, oferece

seus frutos a outrem.

Eis então que o dinamismo da Palavra de Deus é o seguinte: ouvir a Palavra, guardá-la

no coração, colocá-la em prática e partilhar os frutos, as experiências vividas. Isso nos

transforma!

Compartilhe esta publicação
Nossas redes sociais
Top