01 SET 2018

“Ensinem as minhas palavras aos seus filhos” (Dt 11,19)

Transmitir a fé aos filhos

“Todos nós temos que dar o melhor de nós, e o que temos de melhor é a fé. Temos que dar a fé, mas com o exemplo, não com as palavras. Hoje as palavras não servem. Neste mundo da imagem, no qual todos têm um celular, não é preciso palavras. Que exemplo damos para nossos filhos?”[1].

Muitos pais só pensam em deixar bens materiais para os filhos. Passar a fé vale muito mais que bens. Um filho escreveu para seus pais: “Eu sou forte no mal porque vocês foram fracos no bem. Por isso estou preso”.

O livro do Deuteronômio ensina o que os pais devem fazer para transmitir a experiência concreta de Deus para seus filhos.

“Gravem estas minhas palavras no coração e na mente; amarrem-nas como símbolos nas mãos e prendam-nas na testa. Ensinem-nas a seus filhos, conversando a respeito delas quando estiverem sentados em casa e quando estiverem andando pelo caminho, quando se deitarem e quando se levantarem” (Dt 11,18-19).

Mas ninguém pode dar o que não possui. Os pais só poderão passar a fé para os filhos se eles, pais, forem pessoas de fé. O modo mais eficaz de transmitir a fé é com o testemunho de vida. As palavras podem convencer, mas os exemplos arrastam!

Existem homens que levam a mulher e os filhos de carro até a porta da Igreja, mas eles não entram. Existem pais que dão bebida alcoólica para seus filhos experimentar desde pequenos: estão formando os futuros alcoólatras. Pais, lembrem-se que prestarão contas diante de Deus por aquilo que fizeram ou deixaram de fazer aos seus filhos.

Uma mãe de família me contou como ela e seu marido fazem em sua casa.

Em cada casal existe um que puxa o outro. No caso de meus pais, quem puxava era meu pai. Ele sempre foi um católico fervoroso, honesto e ajudava o próximo. Já na família do meu esposo quem puxava a religião era a minha sogra.

Nas duas famílias era evidente o amor. Foi isso que trouxemos como base para a construção da nossa família. No entanto, hoje está difícil transmitir aos filhos o que recebemos.

Não é fácil educar os filhos com a tecnologia de hoje: tudo vai contra nós. A TV que prega que tudo é permitido. Os tablets, celulares, facebook preencheram a vida dos filhos e eles não têm mais tempo para nada.

Como educamos nossos filhos diante de tudo isso? Resposta: amando, amando muito. Como? Antes de mais nada, nos amando eu e meu esposo: respeitando-nos e tendo consideração um para com o outro. Isso não quer dizer que não briguemos, brigamos sim. Eles precisam saber que pais e mães não são perfeitos e que brigam, mas que se perdoam, que rezam juntos, que ao se deitarem já estão em paz, que existe um amor que cura, uma graça recebida de Deus no Sacramento do Matrimônio. A fé se transmite por meio do amor.

Nós também tivemos momentos de adolescentes rebeldes, mas, como fomos educados desde pequenos na fé, depois de grandes, retomamos o bom caminho. Por isso, eu sempre digo que para os pais: insistam nos valores. Os filhos podem até se desviar do caminho, mas, um dia, lá na frente, quando a água lhes chegar ao pescoço e eles não souberem o que fazer, irão pensar: O que meus pais fariam nesta situação? Onde eles buscariam ajuda? E lembrarão... na Igreja, em Deus e, com certeza, encontrarão o caminho novamente.


Compartilhe esta publicação
Nossas redes sociais
Top