13 JUN 2017

O PROJETO COMUNHÃO E PARTILHA

Em 2012, na Assembleia Geral daCNBB , foi aprovado um projetoda Igreja do Brasil chamado “Comunhão e Partilha”. Ele consiste em que cada Arquidiocese, Diocese ou Prelaziacontribua com 1% (um por cento) dos seus rendimentos mensais para um caixa comum. Uma Comissão de Bispos iria organizara distribuição deste dinheiro parao pagamento dos estudos de seminaristasde dioceses com menor condição econômica. Na Assembleia de 2017 o projetoteve uma nova aprovação para mais cincoanos devido ao passo importante que significou para a Igreja do Brasil.A situação de muitas dioceses é, verdadeiramente,calamitosa.

O Projeto Comunhão e Partilha prevê a ajuda atrês categorias de dioceses que são pensadasa partir da quantia que a diocese arrecada mensalmente para a manutençãoda pastoral, da formação e também da folha de pagamentos salariais. Algumas, pasmem, dispõem de dez mil reais mensais, outras vinte mil reais,etc. É para os estudantes destas dioceses que se destina o fundo formado poresta colaboração de todas as dioceses do país. As dioceses necessitadas desta ajuda, na sua grande maioria, são do Nordeste, Norte e Centro Oeste do país. Fica evidente a grande necessidade que muitas Igrejas Particulares vivem pelo país a fora. Pergunta-se: como manter uma diocese com dez, vinte, ou trinta mil reais? É praticamente impossível. O número de seminaristas contemplados subiu, desde 2012, de 153 para403 (163%). A média anual de arrecadação foi de 3684 salários mínimos. Para que o Projeto se sustente tem a capacidade de distribuir 3000 salários mínimos anualmente.

Nas entrelinhas também foi dado um “puxão de orelha”.Existe sensibilidade afetiva mas falta maior sensibilidade efetiva ao projeto. A Diocese de Paranavaí vem contribuindo mensalmente para a manutençãoe crescimento deste projeto.Estamos, assim, contribuindo para as vocações sacerdotais e religiosas das regiões mais carentes do país.Mesmo com as dificuldades, que fizer acima, o Projeto Comunhão e Partilha é uma graça de Deus para a Igreja do Brasil. Inclusive já há notícia de vários padres ordenados e que foram auxiliados por esta iniciativa. Ideias deste gênero deverão começar a acontecer sempre mais no Brasil.

Num passado não muito distante fomos muito, e mal, acostumados a receber de fora (Alemanha,França, Suiça, etc). Hoje, graçasa Deus, as condições da nossa Pátria Amada melhoraram e nós temos que crescer na consciência da partilha e na sustentação de projetos que nos ajudem a crescer e nos tornar maduros na fé.Em nossa diocese, por conta do Ano Jubilar, estamos fazendo um trabalho de conscientização sobre o dízimo. Este já foi feito por aqui no ano de 2009 e trouxe muitos bons frutos. Que esta iniciativa nos ajude a crescermos ainda mais na consciência de que tudo vem de Deus, na consciência da partilha, da fraternidade, da eclesialidade, etc. Com as questões econômicas bem organizadas podemos trabalhar com maior tranqüilidade nas questões da pastoral e da evangelização. Nas avaliações que foram feitas do projeto citado acima,alguns bispos contemplados se pronunciaram e agradeceram pela grande ajuda que receberam. Destacaram sempre que “há mais alegria em dar que em receber” (At 20,35). Vamos nos esforçar por mais uma etapa de crescimento na nossa Pastoral do Dízimo. Maria Mãe da Igreja abençoe a todos.

Compartilhe esta publicação
Nossas redes sociais
Top