11 JUL 2016

Mês de férias, mas de muito trabalho!

    Já se foi a metade do ano de 2016. O tempo não anda, voa! A programação pastoral está sendo executada pouco a pouco mostrando que a nossa parcela na construção do Reino de Deus também precisa ser planejada, pensada, preparada e executada com muito carinho. Destaco três programas neste mês de julho que precisam ser melhorados para continuarem a produzir o efeito que todos queremos, a saber: O Encontro Vocacional, a Semana Teológica e o Retiro Anual do Clero.

    O Encontro Vocacional, que acontecerá no Seminário Diocesano dias 02 e 03 de julho, lembra a dimensão vocacional de todo o trabalho da Igreja. Precisamos de muitas e santas vocações. Precisamos de padres, religiosos e religiosas. Nos últimos anos Deus tem sido generoso conosco e vem despertando vocações em nossa Diocese. Importante para isto é o trabalho vocacional, a oração pelas vocações e a estruturação do trabalho de formação dos futuros padres. É importante que todas as paróquias continuem rezando insistentemente pelas vocações. Afinal, Jesus mesmo disse: Pedi ao Senhor da messe operários para a messe (Mt 9,38). É necessário valorizar a Pastoral Vocacional para que a Vocação Sacerdotal seja vista e lembrada no coração dos nossos jovens.

    A Semana Teológica vem se firmando como um ótimo trabalho de formação do laicato de nossa Diocese. Este ano será realizada a décima de 18 a 22 de julho. O tema será um Estudo do Evangelho de São João – Reflexão teológico- pastoral a partir do discípulo amado. Em continuidade com estudo dos evangelhos sinóticos do ano passado teremos a presença do Frei Ildo Perondi, capuchinho, da PUC de Londrina. Este ano será no Centro de Eventos da UNESPAR. O Frei Ildo já informou que usará um pequeno esquema para o melhor entendimento do Evangelho de João: Introdução ao Evangelho, autor, destinatário, estilo, principais perspectivas teológicas, os símbolos e sinais, a narração da paixão, morte e ressurreição do Senhor e sua importância pastoral. Diz o Documento 105 da CNBB sobre o laicato: A formação é uma exigência de nossa condição humana. Todos convivemos com limitações. Isto exige de todo o Povo de Deus, e de cada um em particular, a busca permanente da compreensão e da vivência da nossa fé. Por essa razão, é necessário encontrar, em cada contexto, os meios mais adequados de compreensão e comunicação do Evangelho, recorrendo para tanto à teologia e às diversas ciências (...) para promover o desejo de seguir o projeto de Jesus Cristo (233).

    O terceiro programa previsto é o Retiro Anual do Clero que acontecerá de 25 a 29 de Julho. Também os padres precisam parar um pouco para recarregar as energias e continuarem a cumprir bem a sua missão na evangelização. Este ano, seremos acompanhados por Dom Rubens Sevilha, carmelita e Bispo Auxiliar de Vitória – ES. Seria quase indispensável falar da necessidade do recolhimento e da oração que deve acontecer no dia a dia, mas também de maneira mais aprofundada de ano a ano. Não há como estar à frente do nosso povo sem esta preparação básica. Neste ano em que vivemos o Ano Santo da Misericórdia somos convocados a sentir e viver a misericórdia de Deus. É bom para o presbítero sentir a necessidade da misericórdia para que não seja muito duro no trato com os fiéis que dela necessitam. Além destes aspectos temos, ainda, a vivência da unidade do clero, pois, o retiro é um momento de nos conhecermos melhor, conviver, partilhar experiências, angústias e alegrias, etc. Momento de partilha da vida com Deus, com Nossa Senhora e com as pessoas que estão conosco. Vivamos com alegria até que o “Cristo seja formado em nós” (Gal 4,19).

Compartilhe esta publicação
Nossas redes sociais
Top