17 MAR 2016

AINDA A CAMPANHA DA FRATERNIDADE.....

Continua repercutindo a acertada decisão da CNBB de promover a quarta Campanha da Fraternidade Ecumênica neste ano de 2016. Ela vem no bojo da publicação, pelo Papa Francisco da Carta Encíclica Laudato Sí, sobre o cuidado com a Casa Comum. Com o seu tema: Casa comum nossa responsabilidade e o lema: Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca (Am5,24), quer unir a reflexão teológica, bíblica, espiritual com um tema forte e candente qual o cuidado com a Ecologia Humana através do saneamento básico. Uma parceria entre as igrejas cristãs que compõem o Conselho Nacional de Igrejas

Cristãs – CONIC. Isto torna possível cada vez mais o diálogo e o testemunho ecumênico, sem proselitismo religioso.

O Texto Base recorda que “a Bíblia é uma revelação progressiva. Mesmo antes da revelação plena que veio através de Cristo, profetas já anunciavam aspectos importantes da caridade e da justiça que faziam parte do grande projeto de Deus. No conjunto da Escritura, a mensagem vai se encaminhando na direção dos valores do Reino de Deus, depois amplamente explicitados por Jesus. Trata-se de um modo de viver que quer a humanidade se comportando como uma grande família. O bem-comum, desejado por Deus, é o grande objetivo” (116). Vários profetas são evocados para falar da necessidade e do clamor por justiça que vem das pessoas, especialmente dos pobres. Basta conferir textos como de Amós 5,24; Amós 2,6-8; Isaías 1,11; Oséias 4,1-3; Is56,6-8. Os profetas deixam bem claro que a fidelidade a Deus tem tudo a ver com o cuidado que temos de ter uns com os outros e com os dons da natureza que Deus criou.

Novamente o Texto Base diz que “a harmonia do ser humano com o meio ambiente aparece bastante na Bíblia como símbolo da vida gratificante que Deus planejou para nós” (126). Um exemplo bonito é o Jardim do Éden (Gn2,6), onde viviam em harmonia Deus, o homem e a natureza. Ao longo de sua caminhada, o povo de Deus foi descobrindo e estabelecendo normas de higiene e limpeza para que a comunidade humana fosse um reflexo desta harmonia retratada no Jardim do Éden. Vejamos alguns:

a. Organizar a comunidade para que resolva seus problemas (Ex18,13-27);

b. Manter a limpeza do acampamento. Em Dt23,13-14 temos as recomendações a respeito do saneamento básico do acampamento;

c. Cuidar e tratar da água a ser consumida. As fontes, poços e cisternas devem ser mantidos puros (Lv11,36). A pureza da água a ser consumida era um problema na travessia do deserto;

d. Saber comer alimentos bons. A natureza nos oferece alimentos saudáveis. Está implícita a recomendação de ter cuidado com o que se come;

e. Repartir com os pobres. A lei preservava o direito dos pobres em recolher as sobras das colheitas (Dt24, 19-22). Todos devem ter os bens necessários para a sua sobrevivência;

f. Cuidar das árvores e bosques. Não cortar árvores. Respeitar as árvores frutíferas (Lv19,25) porque os frutos das árvores são bênçãos de Deus;

g. Respeitar e remunerar bem o trabalho alheio. Não se deve explorar o assalariado e o trabalhador. Ninguém deve aproveitar-se da situação de miséria pela qual está passando uma pessoa para explorá-la;

h. Saber descansar. O dia sagrado do descanso deve ser observado. Todos precisam saber parar (Ex20,8-11). Aqui podemos perceber que há ritmos que devem ser respeitados também no cuidado com os recursos naturais.

A Campanha da Fraternidade, mais uma vez, quer nos indicar belos exemplos de vida sadia, feliz e cheia da presença de Deus, ou seja, da salvação de Deus. Que a Oração da CFE 2016 nos ajude a compreender isto:

Deus da vida, da justiça e do amor, Tu fizeste com ternura o nosso planeta, morada de todas as espécies e povos. Dá-nos assumir, na força da fé e em irmandade ecumênica, a corresponsabilidade na construção de um mundo sustentável e justo, para todos. No seguimento de Jesus, Com a Alegria do Evangelho e com a opção pelos pobres. Amém!

Compartilhe esta publicação
Nossas redes sociais
Top