06 SET 2019

"José do Egito", resgatando a dignidade das crianças em Madagascar


O projeto “José do Egito” da Comunidade Shalom, em Madagascar, se realiza na cidade de Antsiranana, situada norte da ilha. O projeto é feito também em algumas missões da comunidade no Brasil.

Mariangela Jaguraba - Antananarivo

O Papa Francisco chegou na tarde desta sexta-feira (06?09), a Madagascar, na capital Antananarivo, que acolheu o Santo Padre de braços abertos e lhe deu as boas-vindas: Tongasoa, saudação em malgaxe que significa “seja bem-vindo” que encontramos pelas ruas da cidade que hoje está completamente blindada, com policiais por todos os cantos da capital. 

O Papa chegou a Madagascar, chamada de “Terra vermelha”, como “Semeador de paz e esperança”, conforme diz o lema dessa viagem.


A imprensa hoje destaca a chegada do Papa Francisco ao aeroporto internacional de Ivato, em Antananarivo, e um pouco do programa de sua estada de três dias aqui que será bem intenso. Cita em particular dois eventos: a missa no Campo Diocesano de Soamandrakizay, no domingo, em que são esperadas 1 milhão de pessoas, e o encontro do Papa Francisco com o presidente Andry  Rajoelna.

A manchete do jornal “L’express de Madagascar” é “Prontos para o grande dia”.

O título principal do jornal “Midi Madagasikara” é “A chegada do Papa Francisco a terras malgaxes”, e a do jornal “Les Nouvelles” é “O Papa Francisco com cheiro de santidade”.  

Antananarivo é uma capital bem movimentada com quase dois milhões de habitantes, com um grande número de jovens e crianças que vemos circular pelas ruas da cidade.

A população de Madagascar é de 25 milhões de habitantes. Um país pobre, com uma situação higiênica difícil. Somente 2% da população tem água encanada. A expectativa de vida do povo malgaxe é de 40 anos. Não obstante a condição de pobreza é um povo alegre, acolhedor e batalhador, que luta para superar a condição de pobreza em que vive.

Um exemplo de superação da pobreza é a “Cidade da Amizade” em Akamasoa que significa “Bons amigos”, local que o Papa Francisco visitará, no próximo domingo, e que eu também pude conhecer. Ali vivem 25 mil pessoas. Esta cidade foi fundada pelo sacerdote argentino de origem eslovena pe. Pedro Opeka, missionário Lassalista que chegou a Madagascar em 1970. Foi ele mesmo quem levou para conhecer a Cidade da Amizade.

Nessa cidade tem um hospital, escolas e uma universidade que acolhe também estudantes que não fazem parte dessa comunidade, e cada família tem a sua pequena casa. As crianças vão à escola e os jovens recebem uma formação profissional.

Ali dentro tem três pedreiras onde as pessoas trabalham quebrando pedras com martelos e picaretas, pedras de vários tamanhos. Os pais sustentam suas famílias com a venda dessas pedras para a cidade e arredores. Ali também tem uma grande carpintaria que produz cadeiras e bancos para as escolas da capital Antananarivo.

A Comunidade Shalom tem um projeto aqui, em Madagascar, que como o da Cidade da Amizade, em Antananarivo, ajuda as pessoas carentes. Trata-se do projeto “José do Egito”, realizado na cidade de Antsiranana, situada norte da ilha, que também existe em algumas missões da Comunidade Shalom no Brasil.

A responsável local da Comunidade Shalom e do projeto “José do Egito” é Vanda Santos, natural de Salvador (BA), que nos dá o seu testemunho.

Fonte: Vatican News

Compartilhe esta publicação
Nossas redes sociais
Top