13 NOV 2020

Igreja no Brasil cumpre importante papel de informar sobre as eleições 2020

Neste domingo, 15 de novembro, 147,9 milhões de brasileiros, aptos a votar, poderão comparecer às urnas para escolher os candidatos e as candidatas a ocupar os legislativos e executivos nos 5.570 municípios do país.

Desde agosto deste ano, o portal da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) apresenta uma série de matérias que abordam as iniciativas que surgiram na Igreja Brasil tendo em vista o fortalecimento das “Eleições 2020”, do processo democrático brasileiro e a orientação ao eleitorado brasileiro sobre as mudanças, deste ano, em decorrência da pandemia do novo coronavírus.

Experiências na Igreja no Brasil

Uma série de iniciativas foram desenvolvidas pelos regionais da CNBB. Os bispos do regional Sul 4 da CNBB, que compreende Santa Catarina, lançaram orientações para os católicos nas Eleições 2020 a partir do qual produziram uma série de quatro vídeos “Meu Voto Importa”, publicada semanalmente pelo seu regional Sul 4 desde o dia 15 de outubro. O último vídeo da série abordou o tema das notícias falsas e o quanto elas são prejudiciais ao processo democrático.

Na mesma linha, o Núcleo do Estudos Sociopolíticos da PUC Minas, instituição da arquidiocese de Belo Horizonte, publicou uma série de vídeos sobre as Eleições 2020. São produções apartidárias, que buscam ajudar eleitores no importante processo de discernimento que antecipa a escolha de candidatos.

O regional Sul 2 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que abrange o Paraná, elaborou uma cartilha com título “Os cristãos e as eleições”, a cartilha tem como tema “A boa política está a serviço da vida e da paz”. “O objetivo do subsídio é contribuir para a formação de uma sadia consciência política, motivá-las à participação no processo político e fornecer critérios para orientá-las nas eleições municipais”, informa o Regional Sul 2 da CNBB.

O regional Centro Oeste da CNBB (Goiás e Distrito Federal) publicou dia 30 de setembro, uma mensagem sobre as eleições municipais 2020 em Goiás. No texto, os bispos, juntamente com os administradores diocesanos do regional, dirigiram palavras de encorajamento e esperança à luz da fé em Jesus Cristo e deixaram claro que “a Igreja não é partidária, mas busca conscientizar o eleitor e incentivar os fiéis leigos que se sentem chamados a representar o povo com um mandato político.”

A província eclesiástica de Maceió, que reúne além da arquidiocese alagoana as dioceses de Palmeira dos Índios e Penedo, também lançou a cartilha “Eleições 2020”. O subsídio traz informações sobre a realização do pleito em meio à pandemia, a importância do voto, o papel dos poderes Legislativo e Executivo no âmbito municipal, e como fiscalizar recursos públicos e denunciar crimes eleitorais.

Com o intuito de também combater as fake news, a Rede Eclesial Pan-Amazônica (REPAM-Brasil) lançou uma cartilha virtual formativa para ajudar no combate às fake news. Organizada pelo setor de comunicação da Rede, a proposta é oferecer um material que ajude a refletir, discernir e combater a disseminação de notícias falsas.

No dia 1º de outubro, como resultado de uma ação conjunta do Conselho Nacional do Laicato do Brasil (CNLB), da Comissão Brasileira Justiça e Paz (CBJP), do Centro Nacional de Fé e Política “Dom Hélder Câmara” (Cefep), vinculado à Comissão Episcopal Pastoral para o Laicato da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e do Núcleo de Estudos Sociopolíticos da PUC Minas e Arquidiocese de Belo Horizonte (Nesp), foi lançado às 20h, um hot-site, dentro do site do CNLB, cujo objetivo será centralizar e informações aos cristãos católicos sobre o processo eleitoral e o papel dos cristãos.

A publicação “Mutirão de eleições pela vida”, organizada como parte do processo da 6ª Semana Social Brasileira, foi disponibilizada no último dia 24 de setembro. Trata-se, segundo a secretária-executiva da 6ª Semana Social Brasileira, Alessandra Miranda, de um subsídio online para subsidiar o debate e o aprofundamento dos cristãos sobre o processo eleitoral deste ano quando.

Fonte: CNBB
Autor:

Compartilhe esta publicação
Nossas redes sociais
Top