25 JUL 2020

São Tiago Maior: reconstrução artística do rosto de um dos apóstolos mais próximos de Jesus

Neste dia 25 de julho, da Festa de São Tiago, o Departamento de Arqueologia Sacra da Academia Brasileira de Hagiologia (ABRHAGI) através de um dos seus fundadores, o perito em relíquias sagradas Fábio Tucci Farah, apresenta uma iconografia revisitada do Apóstolo.

A reconstrução artística facial foi encorajada por dom Julián Barrio Barrio, arcebispo de Santiago de Compostela, onde estão depositadas as relíquias sagradas de São Tiago Maior, ligadas às origens apostólicas, que continuam atraindo multidões de devotos.

O especialista em relíquias da Arquidiocese de São Paulo, Fábio Tucci Farah, em audiência com Dom Odilo Scherer, arcebispo local, já apresentou uma pesquisa que vai orientar a reconstrução artística do rosto de São Paulo, patrono da cidade.

O pesquisador brasileiro em audiência com Dom Julián Barrio Barrio, arcebispo de Santiago de Compostela.

A ideia segue mais um projeto idealizado por Farah, um dos fundadores do Departamento de Arqueologia Sacra da Academia Brasileira de Hagiologia (ABRHAGI), que, pela ciência forense e mesmo sem acesso aos crânios dos santos, já recriou o retrato artístico mais fidedigno de Santa Joana d’Arc e, agora, está apresentando em primeira mão a reconstrução facial artística de São Tiago Zebedeu, um dos apóstolos mais próximos de Jesus e testemunha de Sua Transfiguração.

Um projeto de ponte-área Brasil-Espanha

O rosto de São Tiago foi recriado pela artista espanhola Girleyne Costa, e a pesquisa, uma etapa fundamental do projeto, contou com a parceria de Farah e Mariana de Assis Viana Mansur, “que já percorreu oito vezes o Caminho de Santiago e conhece bem a iconografia do Apóstolo”, explica o especialista brasileiro.

Farah comenta que “não seria suficiente retratar um pescador galileu do século I”, com suas características étnico-raciais. Era preciso ir além, buscando traços em referências já consagradas e em iconografias pouco conhecidas.

“A ideia não seria apresentar o rosto de um pescador galileu do século I e dizer: ‘eis aí São Tiago’. Mas apresentar o rosto de um provável pescador galileu do século I que fizesse as pessoas se lembrarem do Apóstolo: o irmão de São João, retrato nas catacumbas nos primeiros séculos, o primo de Jesus Cristo, o apóstolo que saúda os peregrinos em sua imagem mais célebre – a do Pórtico da Glória. Um homem que chegou ao ‘fim do mundo’ para pregar o Evangelho. Com o dossiê histórico, a Girleyne iniciou os esboços. Acompanhei o processo do primeiro esboço ao retrato final; essa etapa durou aproximadamente seis meses.”

Fonte: Vatican News
Autor: Andressa Collet

Compartilhe esta publicação
Nossas redes sociais
Top