12 DEZ 2016

Membros da Equipe do Tribunal Eclesiástico atenderá toda Diocese de Paranavaí

Membros da Equipe do Tribunal Eclesiástico atenderá toda Diocese de Paranavaí.


Dia 03 de novembro, a Diocese de Paranavaí (PR) realizou a solenidade de instalação do Tribunal Eclesiástico
Diocesano, onde o bispo diocesano, dom Dom Geremias Steinmetz assinou os documentos e agora aguarda
a autorização do Papa Francisco para acabar de compor sua equipe envolvida nesse trabalho

Image title

“Existe a preocupação pastoral

por parte da nossa Igreja, que é

mãe para com seus fi lhos, que

feridos por uma experiência

de matrimônio falido,

consequentemente, os deixam

em uma situação jurídica de

irregularidade quando depois de

separados acabam por contrair

uma nova união e o Tribunal

Eclesiástico vêm para nos

auxiliar nesse processo”.

Dom Geremias Steinmetz

De acordo com o Código de Direito Canônico (CDC), o Tribunal Eclesiástico é um tribunal da Igreja que realiza a justiça canônica e direciona os caminhos corretos a serem seguidos em determinadas situações da vida da Igreja. A sua instalação na Diocese de Paranavaí segue a orientação do Papa Francisco no Motu Proprio “Mitis Iudex Dominus Iesus”, sobre a reforma do processo canônico para as causas de declaração de nulidade matrimonial, assinada em agosto de 2015. A reforma substituiu integralmente o antigo processo, conforme os cânones

1671-1691 que foram reformados no Código de Direito Canônico de 1983.


Padre Irineu Miguel da Silva, como o Senhor enxerga essa realidade, onde o número de separações aumenta a cada dia?

Há 10 anos estou na Câmara Eclesiástica e tenho observado esse crescimento, o número de pessoas separadas aumentou e assim aumentou também a vontade de organizar essa situação perante a Igreja. Por esse motivo, a Diocese de Paranavaí criou o Tribunal Eclesiástico visando resolver essas situações.

Quais são os casais que devem procurar o Tribunal Eclesiástico?

Todos os fiéis leigos e clérigos, especialmente os casais separados que precisam regularizar uma situação e que desejam uma comunhão plena com a Igreja. Casais de segunda união também podem regularizar sua situação perante a Igreja, dependendo do caso, podem até comungar.

Quantos aos desafios do Tribunal Eclesiástico que foi instalado aqui na nossa região, são grandes?

A instalação na Diocese de Paranavaí segue a orientação do Papa Francisco no Motu Proprio “Mitis Iudex Dominus Iesus”, sobre a reforma do processo canônico para as causas de declaração de nulidade matrimonial, assinada em agosto de 2015. A reforma substituiu integralmente o antigo processo, conforme os cânones 1671-1691 que foram reformados no Código de Direito Canônico de 1983.

Isto quer dizer que os processos serão resolvidos de uma forma mais rápida. É por esse motivo que Dom Geremias está montando uma equipe composta por mim que sou o Vigário Judicial, pelos padres Claudiomar Cardoso e Padre Gustavo Paulo da Silva que são os Juízes Auditores, pela Maria Celeste Guerreiro, nossa Notária e outros membros que estão sendo chamados e que irão nos auxiliar nesse processo.

Pe. Gustavo, como é para o Senhor, como juiz auditor, fazer parte dessa equipe?

É uma responsabilidade muito grande poder auxiliar esses casais que nos procuram tentando regularizar sua situação. Muitos deles vêm de um primeiro casamento fracassado, de uma realidade difícil e acolhê-los, auxiliá-los é uma grande missão da Igreja.

Pe. Claudiomar, com toda sua experiência de padre, como juiz auditor o que Senhor traz para esse time?

Penso que a questão é ajudar, dar serenidade aos processos, organizá-los e dar um alento àquelas pessoas que precisam regularizar seu matrimônio e sua vida com a Igreja. Estaremos prontos para, dentro orientação do Papa Francisco no Motu Proprio “Mitis Iudex Dominus Iesus”, trabalhar o que for necessário em cada processo.

Celeste, como Notária, quais são suas funções nesse trabalho?

Registrar tudo o que está sendo dito e trabalhado. Escrever é uma tarefa árdua e requer atenção e compreensão sobre os fatos apurados. Trabalhar com o futuro de uma união, regularizar uma situação matrimonial traz um grande benefício para o casal e também para Igreja.


Compartilhe esta publicação
Nossas redes sociais
Top