Monjas Cistercienses

  • Chacará São Bernardo S/N, , Santa Cruz do Monte Castelo – Pr
  • (44) 3452-2747
  • abadiamontecastelo@hotmail.com

Madre Abadessa Emérita Maria Benedita de Oliveira – Nasc. 29/03/55 – Prof. 01/11

Madre  Maria Verônica Negrizoli – Nasc. 10/07/63 – Prof. 13/11

Madre Priora  Maria Auxiliadora Cardoso – Nasc. 08/07/61 – Prof. 22/04

Madre Abadessa Emérita Maria Antonia Zwerger – Nasc. 20/05/26 – Prof. 04/10


Ir. Maria Katarina da Silva – Nasc. 15/07/55 – Prof. 17/12/1977

Ir. Maria Estefânia Martins Araújo – Nasc. 23/09/61 – Prof. 01/11

Ir. Maria Salete da Cruz – Nasc. 21/01/64 – Prof. 25/12

Ir. Maria Mônica Barbosa – Nasc. 02/10/58 – Prof. 01/11

Ir. Maria Bárbara P.A.dos Santos – Nasc. 24/09/70 – Prof. 04/10

Ir. Maria Karolina Wiedemann – Nasc. 04/07/27 – Prof. 04/10

Ir. Maria Rosa Gonçalves de Assis – 14/06/43 – Prof. 11/07/2003

Ir. Maria Terezinha Alves de Lima – Nasc. 03/08/87

Ir. Maria Gabriela Santos Lima – Nasc. 01/01/84 – Prof. 08/12/10

Roseli Fernandes Pereira - postulante

Natalia da Conceição - Postulante


O mosteiro de Itararé, com 21 anos de fundado, teve um bom crescimento da comunidade, de forma que sua abadesssa Stefânia Köbele desejava fazer uma fundação, na cidade de Monte Castelo, no Estado do Paraná, no Brasil. Assim, em 26 de junho de 1973, inicialmente ela pediu permissão ao Presidente da Congregação Brasileira, o qual respondeu que, como o mosteiro de Itararé era dependente do bispo diocesano, o pedido deveria ser encaminhado ao mesmo, como também era necessário a permissão do bispo da diocese que acolhe a fundação. Feito os devidos pedidos, a abadessa obteve no dia 29 de junho de 1973, a concessão do bispo de Itapeva , para a saída das monjas da clausura, o qual tinha a jurisprudência sobre aquele mosteiro. Ela também recebeu a permissão do bispo de Paranavaí, em 11 de março de 1975 , acolhendo a nova fundação e ainda, em 28 de setembro de 1973, ela recebeu a devida licença do Abade Geral . A Cúria da Ordem encaminhou o pedido à Santa Sé, a qual confimou a fundação, com direito a ter noviciado, em 2 de junho de 1975, com o Rescriptum 1974/75, da SCRIS . Primeira fundação cisterciense no Brasil feita a partir de um mosteiro brasileiro. Assumiu como superiora da nova fundação, após algumas nomeações que não foram avante, a Irmã Antônia Zwerger, que era originariamente uma irmã conversa.

O mosteiro de Nª. Sª. de Santa Cruz de Monte Castelo, vulgo mosteiro de Monte Castelo, foi incorporado à Ordem através de sua ircorporação na Congregação Brasileira, a qual aconteceu com o Rescriptum C. 109-3/89 da CIVCSVA, em 5 de setembro de 1989 .

O VIII Capítulo da CBC, realizado de 21 a 23 de fevereiro de 1995, recebeu e aprovou, por unanimidade , o pedido para elevar o mosteiro de Monte Castelo a Priorado sui iuris. Um mês depois, 21 de março, foi eleita pela comunidade para Prioresa, a Ir. Maria Antônia Zwerger , a qual foi confirmada pelo presidente da Congregação . Os respectivos documentos foram enviados à Cúria, que os envaminhou à Santa Sé, a qual aprovou a elevação à casa sui iuris em 29 de maio de 1995 . Finalmente, após esses procedimentos de praxe, o abade Presidente da Congregação Brasileira declarou que o mosteiro de Monte Castelo estava canonicamente ereto como Priorado sui iuris, em 12 de julho de 1995. Elevado á Abadia no ano de 2007.

Compartilhe esta publicação
Top